Comunicado – Sobre a Comissão de Ética para a Justiça e a Reconciliação

Lima, 25/11/2015, (Notícias do Sodalício – Peru).

O Superior Geral do Sodalício de Vida Cristã emitiu um Comunicado informando sobre a Comissão de Ética para a Justiça e Reconciliação. A informação completa se encontra em http://comisionetica.org/portugues

COMUNICADO

Aos membros do Sodalício de Vida Cristã, a todas as pessoas que integram ou participam na Família Sodálite e à opinião pública:

1. Nas últimas semanas, assistimos com dor e vergonha à divulgação de acusações verossímeis sobre graves faltas de conduta e abusos cometidos por Luis Fernando Figari e outros membros do Sodalício de Vida Cristã, que devem ser matéria de esclarecimento.
2. Para assegurar o máximo rigor e imparcialidade nesta tarefa, convocamos a um grupo de profissionais de reconhecida qualidade e independência, para conformar uma Comissão de Ética para a Justiça e a Reconciliação, que terá como objetivo revisar o ocorrido, oferecer às vítimas a máxima assistência possível, e propor as correções necessárias.
3. A Comissão está composta por:

Dr. Manuel Sánchez-Palacios Paiva, quem foi Presidente do Jurado Nacional de Eleições e distinguido Membro da Corte Suprema da República do Peru.

Dra. Rosario Fernández Figueroa, advogada, foi Presidente do Conselho de Ministros e Ministra da Justiça, no Peru.

Dom Carlos García Camader, bispo de Lurín, foi Diretor da Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Lima e Reitor do Seminário Maior Santo Toríbio de Mogrovejo, em Lima.

Dra.  Maíta García Trovato, médica cirurgiã, com especialização em psiquiatria, ex-Diretora Geral do Instituto Nacional de Saúde Mental e integrou a Comissão que investigou e denunciou os abusos do Programa de Anticoncepção Cirúrgica.

Sr. Miguel Humberto Aguirre, jornalista, Diretor de Conteúdo do Grupo RPP, foi Coordenador geral e Diretor de internet.

4. A Comissão já foi instalada e tem um prazo de 150 dias corridos. Seus membros assinaram um acordo de confidencialidade. O modo de dirigir qualquer caso ou queixa à Comissão será com um testemunho escrito e assinado, enviando em um envelope lacrado à Caixa Postal nº 27030 Libertadores 325, San Isidro, Lima, Peru, indicando um endereço eletrônico ou telefone de contato.
5. A informação daqueles casos que devam ser colocados nas mãos da justiça civil ou canônica, será entregue a tais foros de acordo com os procedimentos que correspondam.
6. Esta iniciativa é parte do compromisso que assumimos para levar adiante uma etapa de Revisão, Reconciliação e Renovação na nossa comunidade. Isto implica um processo profundo de exame e questionamento das práticas e processos de nossa organização, de maneira que possamos enfrentar e resolver os problemas causados pelo comportamento condenável de alguns. Todo aspecto incoerente com os valores cristãos que devemos servir devem ser claramente repropostos.
7. Luis Fernando Figari deverá permanecer em Roma até novas instruções das autoridades eclesiásticas, para não interferir com as investigações que estas realizam. Com relação aos procedimentos da justiça peruana, asseguramos a nossa maior colaboração.
8. Renovamos a nossa solidariedade com todos os que possam ter sofrido por causa destas ações, que condenamos. Reiteramos que atuaremos com a maior transparência e firmeza para reparar o dano e alentar a Reconciliação, seguindo o chamado feito pelo Papa Francisco ao convocar um ano dedicado à Misericórdia: “É o tempo de regresso ao essencial, para cuidar das fraquezas e dificuldades dos nossos irmãos. O perdão é uma força que ressuscita para nova vida e infunde a coragem para olhar o futuro com esperança”.

Lima, 25 de novembro de 2015

Alessandro Moroni Llabrés

Superior Geral