“É o Senhor Jesus que nos une, Ele é o centro de tudo”

Rafael_Costa

Lima, 30/05/13 (Notícias sodálites – Brasil). Faltando só 59 dias para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) os peregrinos do Movimento de Vida Cristã (MVC) se reuniram no dia 25 de maio no centro pastoral Santa Maria da Evangelização para informar-se sobre os preparativos, itinerários de viagem atividades da JMJ, considerações e precauções adicionais. A atividade começou com o rezo do Terço Comunitário e continuou com apresentações onde se expuseram todos os detalhes a considerar para a viagem e os eventos da JMJ.

A exposição mais importante esteve a cargo do Rafael Costa, emevecista no Rio de Janeiro e um dos voluntários para a JMJ, com quem conversamos extensamente sobre a preparação do MVC para a JMJ, sobre suas palavras aos peregrinos em Lima e algumas anedotas de sua viagem ao Peru.

Qual foi a sua reação quando se anunciou que a JMJ era no Rio?

Foi de muita alegria, porque acredito que é um presente de Deus. Muitos emevecistas do Rio se encontravam em Madri e apesar de já esperarmos que fosse no Rio, teve muita alegria. A cidade tinha uma festa programada no Maracanazinho e ali estávamos na vigília durante a noite, esperando que o papa Bento XVI anunciasse qual seria a cidade sede.  Então foi uma grande festa, motivo de muita alegria para todos os jovens, um dom para a cidade e para o país também, para o Brasil.

Quando souberam desta notícia que fez o MVC no Rio de Janeiro?

Começamos a nos organizar para ver como podíamos ajudar na jornada. Ali alguns de nós começamos a formar parte do comitê organizador e também como integrantes do comitê de catequese. Um Sodálite, Eliezer, e um agrupado mariano, Gustavo, ajudam na parte de eventos da jornada e contribuímos também nos eventos de comunicação com a juventude.

Como estão preparando-se os emevecista lá no Rio?

Temos um grupo de voluntários que se reúne quinzenalmente e agora, no dia 6 de Junho teremos a primeira reunião, o primeiro treinamento oficial que vai ser dado para o comitê organizador local da JMJ, que vai ser na paróquia Sodálite Nossa Senhora da Guia; nos comunicamos também mediante um grupo de Facebook e por e-mail.  Os organizadores do MVC no Rio de Janeiro nos informam por aí, e temos também coordenada toda a questão formal do voluntariado da jornada. Além do mais incluímos nossa formação, a preparação espiritual e as coisas práticas da jornada.

Para a organização da hospedagem, estamos buscando residências perto da paróquia que acolherão os peregrinos, temos feito convites em todas as missas para que abram as suas casas, e temos visitado as casas para ver quantos peregrinos poderiam hospedar. Também, temos realizado atividades para coletar fundos para a organização. Finalmente temos apoiado o Comitê Organizador em todas as atividades, já sejam nas vigílias mensais de preparação para a jornada, às quais convidamos a outros movimentos eclesiais para passar toda a noite rezando pela JMJ; e também somos voluntários, dando apoio na sacristia e na acolhida nestes grandes eventos gerais da JMJ.

Quantos voluntários são?

Os voluntários da jornada são 60.000, entre nacionais e internacionais.

Quantos peregrinos esperam?

Dois milhões e poderia chegar a dois milhões e meio. É um número bem grande.

O que te animou a visitar o Peru?

Vim conhecer o Movimento de Vida Cristã que fala muito da minha identidade, pois ao ser aqui onde tudo começou, é muito importante estar aqui para ver tudo com meus próprios olhos, poder conhecer as pessoas e ver que a espiritualidade nos faz únicos, mas ao mesmo tempo uma família espiritual chamada a compartilhar nossos dons.

Que encontrou nesta viagem?

O primeiro é que fiz muitos amigos, e não sabia que o povo peruano era tão acolhedor, tanto como o povo brasileiro. Conheci as igrejas do Sodalício, suas capelas, as obras; mas sobretudo quero insistir na minha experiência pessoal, vivi como limenho, fui jogar “paintball”, como qualquer jovem, realmente estou me sentindo em casa, na verdade me encontrei a mim mesmo, a minha mesmidade.

No sábado passado você  esteve na reunião de peregrinos,  o que você achou?

Encontrei um grupo muito contente, com muita expectativa pela jornada. E bom, Rio de Janeiro, é realmente uma cidade fantástica e maravilhosa. Mas vejo que todos querem, de fato, um encontro verdadeiro com Deus e conhecer também o que existe no MVC do Brasil. Todos me acolheram para falar e compartilhar minha experiência de vida cristã e minhas expectativas da jornada.

Em resumo, o que você lhes disse?

Eu tinha meditado bastante, desde que decidi vir ao Peru e quando estava aqui, e me inspirei pensando em 5 pontos principais que chamei as 5 esses ( Sonho, Santo, Sintonia, Senhor, Santidade), que acredito que resume toda a minha experiência: que é um Sonho estar conhecendo o Movimento, como também Madri foi um Sonho. É uma ação de Deus, que me faz muito feliz e me impulsa a ser mais Santo. Sinto-me também em muita Sintonia com tudo que acontece aqui como família, como um membro mais da família espiritual, e acredito também que o Senhor Jesus quem nos une, que é centro de tudo, e é dali de onde parte toda esta experiência, esse encontro forte com Jesus, vendo ao mesmo tempo que outros têm combates, têm desafios, e assim como os santos buscam olhar a Deus e caminhar, assim devemos viver a vida cristã como católicos, como membros do MVC, buscando a santidade…

Voltando à Jornada o que vai fazer, tem algum cargo especial?

Anotei em um formulário do Google que me enviaram as minhas preferências. Gostaria de ajudar no transporte de peregrinos e na organização dos encontros do MVC. Existe também outras atividades, que estão sendo avaliadas pela organização do MVC. Anotei as preferências nas que gostaria de ajudar.

O que preferiria?

De fato estar mais perto dos jovens, orientando, ajudando aos transportes, nas hospedagens, servindo, mas em contato com os jovens de todo o mundo.

Quais palavras diria a todos os peregrinos e a todos os emevecistas que estão indo à JMJ?

Que estamos muito alegres, penso que é um dom para os vão à Jornada, mas também para quem recebe. E assim como Cristo, vamos receber a todos de braços abertos, com o coração aberto também, como expressa o símbolo da Jornada, um coração com Cristo, que tem também uma cruz, com todo o simbolismo do peregrino.

Alguma coisa mais que queira contar, alguma anedota talvez.

Quero dizer que estou muito feliz de estar aqui, no Peru, e de conhecer mais a espiritualidade de perto, de fato é uma experiência muito intensa, que fala muito de minha própria identidade, e que são um pedaço do céu para mim. É como uma experiência prévia do que será a comunhão dos santos no céu.

A pesar da diferença de idiomas, vejo que somos como uma única nação. Que é muito mais do que sonhei, que eu gosto muito e me faz muito feliz estar aqui.

Rafael Costa tem 26 anos, é psicólogo de profissão e está vinculado à Família Sodálite no Rio de Janeiro desde o ano de 2001. Trabalha na área de recursos humanos de uma companhia industrial multinacional suíça.